Evento: São Paulo Anime Fest 2023

por em 28 de setembro, 2023 Comente

Pela primeira vez na capital paulista, o Anime Fest estreou em São Paulo no último domingo com muitas atrações. Animes e mangás, games, Kpop e RPG foram alguns dos temas presentes no evento.
O dia estava muito quente, mas isso não impediu que as pessoas se reunissem graças a gostos em comum. A organização informou via comunicado que três mil pessoas estiveram no SPAF.

São Paulo Anime Fest 2023

O Circuito Anime Fest é um evento de cultura pop que acontece no interior paulista desde o ano 2000. Mais de vinte anos depois, a capital enfim entrou para a lista de cidades que fazem parte do circuito.

O Colégio Salesiano em Santana foi o local escolhido para a primeira edição e essa foi uma ótima decisão. O que mais gostei foi a sensação de tranquilidade para transitar porque era uma área muito espaçosa. A passagem entre as fileiras no Artist Alley era grande o suficiente para andar sem trombar em ninguém, mesmo se tivesse gente parada em mesas dos dois lados.
Falando no AA, vários artistas talentosos estavam presentes. É meu local favorito em eventos, tão amado que dessa vez fui parar lá sem querer assim que cheguei. Eu estava procurando o Palco Fan Expo, mas não prestei atenção, passei direto pelo palco e entrei no AA. Entendi como um sinal divino e fiquei por lá mesmo.

Estava lotado de cosplayers, que é outra coisa que amo. Demon Slayer, Genshin Impact, One Piece e Jujutsu Kaisen foram os que eu mais vi. Para mim, os melhores foram o Ace, Nami e Yamato que estavam juntos.

Na Arena Games tinha jogos tanto de console quanto de PCs e tinha gente jogando o tempo inteiro. O Just Dance foi outro espaço onde sempre tinha um grupo se divertindo.

Além disso, tinha bastante lugar para sentar e descansar, o que é muito importante. Foram nove horas de SPAF, some a isso o fator calor e conseguir fazer pausas sem problemas foi o maior ponto positivo para mim.

Foi meu primeiro evento de anime em colégio e foi uma experiência muito diferente das outras. Deu para ver e aproveitar tudo com calma, então já estou no aguardo das próximas edições.

Atrações temáticas

As famosas salas temáticas eram algo que eu só tinha ouvido falar porque elas não existiam mais quando comecei a frequentar eventos de anime. Sempre vejo comentários sobre esse assunto como algo que gerava muito entretenimento, então eu tinha um leve arrependimento por não ter vivido isso. Graças ao São Paulo Anime Fest, agora estou feliz por ter visto essas salas pessoalmente.

Organizados por fãs, a ideia era criar espaços bem de fã para fã mesmo. Decoração temática, atrações interativas e cosplays foram um pouco do que vi ali.

Star Wars, tavernas e imersão com assuntos nerd eram esperados, mas a balada me surpreendeu. Não fiquei lá por muito tempo, por isso não posso comentar sobre muitas coisas, mas as músicas chamaram minha atenção. Eu esperava trilhas sonoras de animes, filmes e séries, não música pop. Acho que eu teria gostado mais se fossem outras músicas, mas, fora isso, sou a favor de mais baladas em eventos geek.

Especial de dublagem com Moo-chan e Mayara Stefane

São Paulo Anime Fest 2023

As dubladoras Moo-chan e Mayara Stefane participaram de um bate-papo muito legal sobre o mundo das dublagens. É claro que eu estava na plateia, pois amo ouvir as pessoas falando sobre seus trabalhos.

Elas falaram sobre os cuidados necessários para evitar danos na voz e alguns deles foram uma surpresa para mim. Entre os esperados estavam evitar ar-condicionado, se hidratar e usar nebulizador. Mas evitar alimentos como café, chocolate e leite antes das escalas me surpreendeu. Mayara ainda acrescentou que faz silêncio total após as gravações com muitos gritos.

Ainda no tema saúde, ambas já foram trabalhar com crise de ansiedade (Mayara) e estando um pouco doente, sem estar com a voz boa (Moo). O risco de substituição definitiva caso não consigam cumprir a escala é algo que elas estão cientes, então eu entendo ambas se esforçarem ao máximo.

Foi engraçado ouvir a Mayara falando sobre dublagens diferenciadas porque uma personagem de Overlord gerou uma cena que ela não esperava dublar: a personagem estava fazendo um bebê. A dubladora ainda disse que ouviu a gravação da parte masculina, que já estava pronta, para usar como referência.
Moo trouxe um lado ainda mais diferente porque ela já fez um corvo em Haikyu!! falando “bocó”, um GPS em Suzume e uma voz em um alto falante de hospital. Sei que é um trabalho sério, mas fico imaginando como deve ser divertido fazer vozes assim.

Mayara citou cantar, e tanto ela quanto Moo falaram sobre a dificuldade em dublar idiomas que não estão acostumadas quando a pergunta foi sobre desafios. Além de questões como acertar o ritmo de fala e a respiração ao dublar pessoas reais. Esse foi outro tópico que nunca passou pela minha cabeça: personagens em animações respiram, mas é mais controlado, ao contrário de pessoas reais que estão a todo momento soltando respiração enquanto falam. Meu respeito por dubladores aumentou muito depois dessa informação.

As duas dubladoras disseram que aprenderam a lidar com críticas e a separar o que é construtivo do que deve ser ignorado. Moo contou sobre uma crítica construtiva que fizeram ao primeiro papel dela e como a mesma pessoa voltou para elogiar as mudanças na dublagem seguinte. Saber disso dá uma esperança de que as pessoas aprendam a ser respeitosas ao falar sobre o trabalho de alguém.

Foi um bate-papo cheio de curiosidades e um dos mais informativos que já vi.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ellen Silva
Amo animes, mangás, livros e procrastinar.
Você também pode gostar...
0 Comentários
Deixe Um Comentário