Anime: Mês shoujo

por em 12 de novembro, 2020 Comente

Inspirada na Crunchyroll, fiz um mês shoujo onde dei prioridades para animes desse universo e foi mais divertido do que eu esperava.

Shoujo não é exatamente um gênero de anime e mangá, é mais um indicador de público-alvo. Seu foco é em garotas adolescentes e engloba histórias de todos os tipos: ficção científica, slice of life, dramas, fantasia, entre outros. Na maioria das vezes, a maior característica do shoujo é a abordagem de emoções e romance como ponto central.
Não é um dos meus estilos favoritos de animes, então raramente assisto, ainda mais vários de uma vez. Mas dessa vez passei um pouco mais de um mês assistindo shoujos que já estavam na minha lista há algum tempo e, no geral, gostei bastante de ter feito isso.

Os animes que assisti foram:

● Say “I love you” – Suki-tte Li Na Yo – Assistir na Crunchyroll

Tachibana Mei não tem amigos pois prefere ficar longe das pessoas para se proteger e evitar que machuquem ela de novo. Mas isso muda quando ela acerta uma voadora em um dos garotos mais populares da escola, Kurosawa Yamato. Depois disso ele acredita que ela é uma pessoa interessante e insiste em se tornar amigo dela. Conforme mais pessoas passam a fazer parte da vida dela, mais Tachibana acha difícil se adaptar a essa nova fase, especialmente no campo amoroso.

O Yamato se apaixonou depois de levar uma voadora, não tem muito o que explicar sobre isso. Tive uma crise de riso quando percebi e só de lembrar estou rindo de novo. No começo, a história parece ser sobre um típico bad boy e uma garota boazinha, mas eu achei o Yamato muito mais gentil do que a Tachibana. Sem contar que a porcentagem de bad boy dele deve ser bem próxima de 0%. Na verdade, foram as atitudes da protagonista que não permitiram que eu gostasse muito desse anime. Ela parece um caminhão passando por cima dos sentimentos do protagonista e não gostei disso mesmo levando em consideração que se trata de uma adolescente. Mas é um bom anime e serviu para alimentar meu lado que gosta de romances levinhos.

Quantidade de episódios: 13
Episódio extra: 1

● My little monster – Tonari No Kaibutsu-kun – Assistir na Crunchyroll

Imagem: Blog Marcadores da Leitura

Mizutani Shizuku não se importa com nada além dos próprios estudos, então é óbvio que ela não fica muito contente quando uma professora pede para ela entregar os materiais de aula para Yoshida Haru. Ele é a definição de problema: um garoto encrenqueiro que parou de ir à escola após entrar em uma briga. Assim como Shizuku, Haru não entende muito sobre sentimentos ou como lidar com eles e também não tem amigos. Mas ele decidi que a Shizuku vai ser amiga dele e isso rapidamente evolui para uma confissão amorosa.

Confesso que, antes de assistir, eu não acreditava que Shizuku e Haru pudesse dar certo como casal, especialmente por serem muito diferentes um do outro. Então fiquei surpresa com o quanto eu amei eles juntos, eles formam um par que funciona muito bem porque os dois são super atrapalhados, além de serem muito fofinhos. Também amei os personagens secundários, principalmente o Mi-chan, primo do Haru, e a Natsume, colega de turma dos protagonistas. Recomendo demais, o romance é muito perfeito e as cenas de comédia realmente me fizeram rir.

Quantidade de episódios: 13
Episódio extra: 1

● Kamisama kiss – Kamisama Hajimemashita – Assistir na Crunchyroll

mês shoujo

Imagem: Funimation

Após ser despejada de sua casa devido a inúmeras dívidas do pai, Momozono Nanami tem que lidar com o fato de viver na rua, além do abandono paterno. Ela ajuda um homem enquanto está na rua e acaba contando para ele toda a situação em que se encontra. Como agradecimento, esse homem oferece a própria casa para Nanami morar e, sem ter muitas opções, ela aceita. Ao chegar no endereço informado, ela descobre que se trata de um templo abandonado e que o homem que ela ajudou, Mikage, é uma divindade que transferiu os poderes para ela. É assim que Nanami se torna uma divindade temporária e passa a gerenciar um templo com o auxílio de dois espíritos e um yokai raposa enquanto ainda vai à escola.

Eis o favorito da lista e, provavelmente, o shoujo favorito da vida também. Amei esse anime, o enredo é muito bom, os personagens são maravilhosos, o desenvolvimento do casal é excelente e o final é perfeito demais. A Nanami foi adorável em todos os momentos, sempre se adaptando à vida nova mesmo sendo algo totalmente além do imaginável, afinal de contas ela se torna uma divindade e tem que cumprir as obrigações desse novo “emprego”. E o Tomoe ganhou meu coração rapidinho porque ele é o tipo de personagem masculino que sempre me conquista. Só percebi dias após terminar, mas me tornei aquilo que eu mais temia: furry. Realmente não reparei que estava apaixonada por uma raposa, mas tudo bem.
Tomoe ❤️

Quantidade de episódios: 25
Episódios extras: 6

● Tsuredure children – Tsurezure Children – Assistir na Crunchyroll

A história acompanha adolescentes que estão aprendendo sobre o amor romântico, incluindo os obstáculos que podem surgir disso. São vários cenários que mostram diferentes lados do amor, desde toda motivação que vem com o sentimento até as partes não tão bonitas.

Único problema desse anime é a duração dos episódios, quinze minutos é pouco para essa perfeição, por mim poderia ter mais de meia hora. Também queria mais episódios, portanto uma segunda temporada seria mais do que bem-vinda. Amei todos os casais, o que é raro acontecer, mas todos são muito shippaveis então foi impossível não gostar deles. Por ser curto e ter um enredo leve, é muito tranquilo de assistir e nunca vou cansar de falar que adorei tudo.

Quantidade de episódios: 12

● Kiss him, not me – Watashi ga Motete Dousunda – Assistir na Crunchyroll

Serinuma Kae é uma otaku obcecada por BL (Boys’ love), no nível de ver dois garotos conversando e já começar a criar fantasias sobre eles se apaixonando. Quando o personagem favorito dela morre, ela fica tão triste que passa uma semana trancada no quarto, sem ir para a escola ou mesmo se alimentar. Ao finalmente sair do quarto, Serinuma perdeu muito peso e, quando retorna à escola, quatro garotos decidem chamar ela para encontros. Mas é óbvio que ela não se importa muito com isso pois preferia muito mais ver os garotos formando pares entre si.

Pensei em deixar esse fora dessa lista, mas achei que seria bom falar sobre, mesmo que sirva só como aviso para quem quiser assistir. A história tinha tudo para ser um ótimo harém reverso, e até teve alguns momentos bons, mas a gordofobia e a forma como abordaram transtornos alimentares foram péssimos, para dizer o mínimo. A protagonista passa dias sem comer, emagrece e só então os garotos prestam atenção nela. Junte a isso a forma como um dos garotos trata ela quando ela engorda de novo, forçando exercícios físicos até machucar a coluna dela. Não tem como não ficar incomodada.

Quantidade de episódios: 12

● Lovely Complex – Assistir na Crunchyroll

Koizumi e Ootani vivem se provocando, além de serem conhecidos como uma dupla de comediantes. Eles sonham em encontrar o amor, mas existe algo que impede isso: ela tem 1,72m, sendo mais alta do que a maioria das garotas e ele tem 1,56m, muito mais baixo do que os outros garotos. Eles encorajam um ao outro e vão se tornando mais amigos com o passar dos dias, percebendo que têm vários gostos em comum. E é assim que acompanhamos o desenvolvimento de um casal aparentemente impossível de dar certo.

Foi o que menos gostei, demorei mais do que o planejado para assistir todos os episódios e até pensei em abandonar. Eu gosto muito do clichê cão e gato, mas o deles parece muito forçado, achei eles velhos demais para briguinha com tapas e socos, então não gostei. Comecei achando que seria engraçado, mas acabou sendo bem abaixo da minha média. Só terminei de ver porque fiquei esperando melhorar, o que não aconteceu, mas pelo menos amei todas as cenas com a Nobu-chan, melhor personagem da história, e o último episódio até que foi bonitinho.

Quantidade de episódios: 24

Tópicos Relacionados

Ellen Silva
Amo livros, séries, animes e procrastinar.
Você também pode gostar...
0 Comentários
Deixe Um Comentário