Livro: Autores estrangeiros que conheci #2

por em 15 de outubro, 2020 Comente

Essa é a segunda parte da lista de autores estrangeiros que conheci e dois dos meus eventos favoritos aparecem nessa listagem, então estou muito contente por falar sobre isso.

autores estrangeiros

Como eu disse no post com a parte 1, é uma lista grande, então vou sempre falar de cinco autores por vez.
Lembrando que os nomes repetidos são porque encontrei o/a autor/a mais de uma vez.

Uma correção em relação a primeira parte: lá eu usei o termo autores internacioans, mas aprendi com a Diana que o correto é autores estrangeiros. Então mudei o título do post e a tag, mas decidi não mexer no conteúdo, preferi só fazer essa notinha apontando o erro e corrigindo o mesmo.

Autores estrangeiros que conheci – Parte 2:

● Nicholas Sparks, 2013

Esse foi o primeiro evento onde realmente entendi o conceito de madrugar para entrar em filas para conhecer autores estrangeiros. Cheguei no local mais ou menos cinco horas antes do horário marcado para começar e as senhas já tinham acabado há muito tempo. E estava bagunça, zero organização, briga para todo lado, ninguém sabia o que fazer. Eu e minha amiga resolvemos ficar na livraria para ver o que ia acontecer e mais gente ia chegando conforme o horário do início da sessão de autógrafos se aproximava. Acredito que passou de mil pessoas e enfim a livraria tomou uma atitude: todos poderiam tirar uma foto com o autor, bem rápido, e só os duzentos ou trezentos primeiros, não lembro o número exato, pegariam autógrafo.
Eu não fazia tanta questão de tirar foto, até porque para mim o mais importante é poder conversar com os autores. Mas acabei ficando para participar e fazer companhia para minha amiga.
Livro autografado: nenhum

● Kiera Cass, 2013


Essa noite de autógrafos foi, sem dúvidas, uma das minhas favoritas. Atrasou uns minutinhos porque a Kiera passou mal, mas, mesmo não estando 100%, ela atendeu todo mundo da fila e também foi extremamente adorável. Eu gaguejei bastante na hora de falar com ela e expliquei que era por estar nervosa. Então ela pegou minha mão, disse ”don’t be” e foi assim que me apaixonei completamente. Ela sempre pareceu ser muito legal pelas redes sociais, mas eu não esperava que fosse tanto e acabei ficando surpresa por ela ser ainda mais fofa pessoalmente. O marido dela foi igualmente fofo, super educado e não ignorou ninguém que falou com ele. Perfeitos demais.
Livros autografados: A seleção e A elite

● Christina Lauren, 2014

autores estrangeiros
Outro que está entre os meus favoritos.
Algumas pessoas não sabem, mas são duas autoras por trás desses livros: a Christina e a Lauren. E elas são maravilhosas. Conversei mais com a Lauren e lembro que fiquei chocada quando ela falou que estava nervosa achando que ninguém ia no evento. Além de ter sido ótimo conhecê-las, amei que o autógrafo é feito em conjunto: cada uma assina com o seu respectivo nome e, como dá para ver na foto, a Christina escreveu meu nome em um livro e a Lauren nos outros. Elas ficaram muito felizes quando contei que li Cretino irresistível quando ainda era fanfic e a Christina ainda elogiou meu cabelo. Só me arrependo de não ter comprado mais livros delas para pegar autógrafos em todos que tinham sido publicados na época.
Livros autografados: Cretino irresistível, Cretina irresistível e Sedutor

● Brittainy C. Cherry, 2015


Conheci a autora durante o primeiro Mochilão da Galera (Record) e comprei Sr. Daniels ali mesmo. Ela falou com tanto amor sobre livro, contando um pouco sobre a história, que não consegui não comprar um exemplar. Foi muito divertido e eram poucas pessoas para pegar autógrafo, então foi tranquilo. A Brittainy é um amor, muito simpática e teve a melhor reação quando falei que, assim como ela, também amo músicas.
Livro autografado: Sr. Daniels

● Julia Quinn, 2015

autores estrangeiros
Tenho sentimentos conflituosos em relação a organização do evento e a própria Julia, mas vou tentar contar tudo da melhor forma.
Tive que buscar a senha às 8h, fazer minhas obrigações e voltar para a livraria muito antes do evento começar porque a senha só garantia a participação, a fila era por ordem de chegada. Foi ruim ter que ir lá de manhã, até perdi uma aula por causa disso, mas ao mesmo tempo foi bom porque evitava aquele medo de ter me preparado o dia inteiro para chegar a noite e não ter mais senha. Quanto a autora, é um caso de entender o que aconteceu, mas ainda assim ficar chateada. Não me importo tanto com o autógrafo em si porque, como já disse, gosto mesmo é de conversar com os autores, mesmo que só por alguns minutos. E entendo que são muitos livros para autografar em pouco tempo e muitas pessoas para dar atenção, mas fiquei meio triste por ter sido ignorada pela Julia enquanto eu tentava falar com ela. Confesso que queria ter recebido mais atenção, mas realmente entendi o lado dela e fiquei feliz por ter pelo menos falado para ela sobre as coisas que amo na série Os Bridgertons.
Livros autografados: O Duque e eu, O visconde que me amava e O conde enfeitiçado

Ellen Silva
Amo livros, séries, animes e procrastinar.
Você também pode gostar...
0 Comentários
Deixe Um Comentário