Resenha: Esmera – A.P.Ribeiro

por em 22 de julho, 2017 Comente

Ficha técnica: Esmera
A.P.Ribeiro
Editora Porto de Ideias
168 Páginas

Sinopse: Você tem em suas mãos, e ao alcance de seus olhos, a senha e o portal para entrar num mundo encantado. Mas fique avisado, o retorno será difícil, e muitos vezes adiado.
No reino das palavras, encontrará o que há de mais envolvente e convidativo no mundo da fantasia, e logo nas primeiras páginas se sentirá atraído para esse universo mágico.
Um mundo que nos envolve completamente, trazendo a superfície nossos sentimentos através de seus personagens. Onde o real mistura-se com a fantasia, e a magia preenche nossas mentes e corações.
Seja bem-vindo ao mundo de Esmera!

Tudo começa com o sacrifício de Kira, a Princesa Imperatriz da Água, que foge para o mundo dos humanos carregando nos braços a outra sobrevivente da linhagem real, sua irmã mais nova Anika, na tentativa de manter esta a salvo. O motivo dessa fuga é porque, com a ajuda d’Os Sete Demônios Marcados que foram libertados da prisão de mil séculos, Baltazar, meio-irmão do Imperador Arthurios, assumiu controle do mundo de Esmera com tirania e violência, eliminando a família imperial.
Anika cresce no mundo dos humanos onde foi deixada aos cuidados de um padre, sem saber de sua origem. Mas tudo muda quando os rebeldes descobrem um jeito para levá-la de volta a Esmera e com isso eles terão um “ás na manga” para a guerra que está sendo travada durante todo esse tempo.

O que mais gostei foi Esmera, o lugar me ganhou totalmente, com toda essa coisa de mundo e pessoas diferentes. Fiquei maravilhada com todos os nomes de personagens e as palavras específicas que a autora criou para designar algumas coisas, como por exemplo: Os Sete Demônios marcados – Abigor, Gorgon, Euriale, Jormungard, Hell, Ferir (juro que não consegui achar o nome do sétimo, então atualizo aqui quando achar); Marisca, Oligor, Sofinia, Erick, Katerine, Dante e Marfinos (rei de Frontem, o abrigo rebelde do norte) que são parte dos rebeldes e alguns deles são integrante da Guarda dos Nove (principal guarda rebelde); harrens = humanos.

A estrutura do livro também não deixa a desejar: a sensação era de que se tratava de tomadas de um filme, o que foi interessante de ler.

O livro foi bem conduzido, de forma que a história ficou atrativa, mas faltou profundidade, detalhes. E seria legal ler mais sobre os personagens, principalmente porque o livro vai mudando de ponto de vista durante a história – é narrado em terceira pessoa, mas a narrativa não fica fixada em um só personagem, ela vai alternando entre eles e mostrando o que está acontecendo com diferentes personagens nos dois mundos.
Além disso deve uma coisa que eu não gostei, que foi a sensação de que a história não tinha um tempo; não senti um começo, um meio e um fim, então fiquei com a impressão de que tudo aconteceu de uma vez e acabou.

Sobre os personagens, a que mais me deixou curiosa foi a Kira e isso fez com que eu sentisse falta de mais coisas sobre a parte dela na história, principalmente porque ela pareceu ser tão corajosa e determinada. A Marisca, integrante da Guarda dos Nove, também foi uma personagem que me cativou, a típica irmã mais velha, cheia de paciência e compreensão. Outro personagem de quem gostei muito foi o Pyro, com toda a força de vontade de se manter ele mesmo independente do que acontecesse e então aquele final previsível para ele (afinal quem não gosta de um clichê?).

Com certeza existem vários livros com essa temática, mas Esmera merece atenção, sendo uma leitura agradável do tipo que você começa e só para de ler quando termina.

Avaliação: 4.0 estrelas

Ellen Silva
Amo animes, mangás, livros e procrastinar.
Você também pode gostar...
0 Comentários
Deixe Um Comentário